Higiene oral nas crianças: 5 dicas para bons hábitos

Uma das preocupações mais frequentes dos nossos pacientes prende-se com a dificuldade que têm em, diariamente, fazer com que os seus filhos, muitas vezes pré-adolescentes ou já na adolescência, façam a sua higiene oral de forma correta e eficaz.

 

Na maior parte das vezes, a higiene oral nas crianças é feita à pressa e de forma insuficiente, fazendo com que, a curto ou médio prazo, surjam problemas associados à má escovagem e limpeza.

 

O estado dos dentes definitivos pode ficar seriamente comprometido caso não haja uma higienizarão oral correta durante a infância. Nesse sentido, a educação para uma higiene oral eficiente nas crianças é fundamental para o seu crescimento saudável. 

 

Dentes sãos contribuem para uma mastigação mais eficiente e, consequentemente, para uma alimentação mais saudável. Ao mesmo tempo, uma saúde oral correta fomenta a fala nas crianças e contribui, desde muito cedo, para o seu bem-estar e autoconfiança.

 

Para além da escovagem diária, deve usar-se fio dentário logo que haja contacto entre dentes. A partir do momento em que nasce o primeiro dente, as crianças devem fazer visitas regulares ao dentista (de 6 em 6 meses).

 

Na realidade, o segredo para que as crianças tenham uma boa higiene oral e consequentemente bocas e dentes mais saudáveis é habituá-los desde muito pequeninos a incluir o momento da escovagem e lavagem na sua rotina.

 

De forma a tornar este um processo mais simples e até divertido, damos-lhe 5 dicas para que consiga motivar os mais jovens para práticas de boa saúde oral.

Dica 1: Educar o hábito da higiene oral nas crianças  

Por volta dos 3-4 anos, as crianças gostam de imitar os pais e querem fazer tudo o que os adultos fazem. Nesse sentido, é muito importante nestas idades o exemplo dos pais na motivação diária para uma higiene oral correta. 

 

Se as crianças virem os pais a fazê-lo e tiverem o acompanhamento constante por parte deles em todo o processo, vão crescer com hábitos de higiene bem enraizados e, quando forem maiores, terão a predisposição para fazer as suas rotinas de higiene de forma independente, sem que seja uma imposição.

 

Acredite que, desta forma, eles saberão como devem escovar sozinhos e sentirão essa necessidade de forma natural.

Dica 2: Tornar a higiene oral num momento divertido em família    

A melhor forma de os motivar para a higiene oral é tornar tudo numa brincadeira. Se todos lá em casa participarem, juntando pai, mãe e irmãos em frente ao espelho, as crianças vão achar muito divertido e vai-se tornar numa atividade instrutiva. 

 

Vale tudo! Pode ser um jogo para ver quem faz mais espuma; um jogo para escovarem ao mesmo tempo acompanhando com uma música divertida; ver quem faz batota ao escovar rápido de mais; ou o jogo de equipas de pais contra filhos para ver quem aguenta a bochechar com elixir mais tempo… 

 

Até podem brincar aos super-heróis, em que cada um pode ser uma personagem, e criar um lema de família que junte a higiene oral e alguma personagem que eles gostem. A ideia é que sejam criativos porque eles adoram este tipo de coisas e é muito importante entrar no mundo deles.

Dica 3: Comprar uma escova adequada para crianças  

A escova dos dentes deve acompanhar o crescimento, pelo que, para cada faixa etária, há um formato adequado. Quanto mais pequena é a criança, mais pequena deve ser a cabeça da escova para chegar a todas as zonas da boca. 

 

As cerdas devem ser macias para não magoarem e a escova deve ter uma pega ergonómica para facilitar a utilização e promover a escovagem autónoma. Uma escova elétrica pode facilitar muito na higiene oral das crianças. As escovas com bonecos, cores apelativas, luzes, música e acessórios divertidos também cativam mais as crianças.

 

Atenção que a criança só pode escovar sozinha quando tiver destreza manual e, mesmo assim, deve ter sempre a supervisão dos pais, que devem sempre verificar no final se a escovagem foi eficaz. Se for necessário, os pais devem fazer uma escovagem final.

Dica 4: Procurar uma pasta que as crianças gostem    

Algumas crianças não gostam de escovar os dentes porque dizem que a pasta “pica”. Por essa razão, e de forma a encontrar uma pasta que os motive para uma higiene oral frequente, os pais devem procurar várias pastas até encontrarem uma com um sabor que a criança goste.

 

Ainda assim, quanto mais cedo as crianças se habituarem a sabores mais neutros, mais facilmente vão conseguir adaptar-se à transição para uma pasta de mais “crescidos” e menos tentação vão ter de engolir a pasta no futuro. Por esse motivo também é tão importante regular a quantidade de pasta a aplicar na escova que deve ser apenas do tamanho tridimensional da unha do 5º dedo.

É fundamental que a pasta além de ser agradável para a criança contenha a quantidade de flúor recomendada para a prevenção da cárie dentária (entre 1000 e 1500 ppm de flúor).

Dica 5: Procurar ajuda de um Odontopediatra  

Também é importante para a criança ter um adulto fora do seu seio familiar que crie empatia e confiança e lhe possa dar um acompanhamento especializado. Através de alguns modelos, jogos ou vídeos com a linguagem deles, conseguimos, nas consultas de odontopediatria, explicar-lhes toda a temática da higiene oral, motivá-los com desafios para superarem em casa e treinar com eles a melhor forma de melhorar a escovagem. 

 

Se as crianças sentirem que são capazes e forem estimuladas de uma maneira positiva, em casa vão querer pôr todas as nossas indicações em prática.

 

Se pretender agendar a sua consulta de odontopediatria ou quiser esclarecer alguma dúvida sobre a higiene oral na infância, submeta o formulário, que entraremos em contacto em breve.

odontopediatra

Drª Mariana Oliveira

Médica Dentista na AngelSmile